PROTOCOLOS PANDÊMICOS DE DANÇA

Com interlocução coreográfica e dramatúrgica de Alejandro Ahmed, diretor do Grupo Cena 11 Cia de Dança (Santa Catarina), PROTOCOLOS PANDÊMICOS DE DANÇA é uma iniciativa dos coreógrafos René Loui e Rozeane Oliveira, que investigam juntos, no Coletivo CIDA, outros modos e fazeres para uma dança atravessada pelos ritos e protocolos trazidos pela pandemia.

 

Com pesquisa iniciada no ano de 2020, PROTOCOLOS PANDÊMICOS DE DANÇA, ainda em sua fase fetal, pensada pelas vias audiovisuais, será levada a público, através do nosso canal no YouTube, a fim de recolher impressões e depoimentos diversos, que sirvam como estímulo coreográfico para o desenvolvimento de uma obra híbrida, que relacione em seu fazer os meios digitais aos presenciais, que friccione corpo e tecnologia, uma obra que aproxime quem convencionalmente faz, de quem convencionalmente assiste e, se possível, borrando esses papéis.

 

Os espectadores serão incentivados a compartilhar suas impressões e relatos de experiências, por meio de textos, áudios, vídeos, ou quaisquer outros meios, transformando-os em agentes ativos na construção subjetiva da obra final, ou seja, o espectador passa a fazer parte do processo criativo que moldará as próximas etapas da construção do espetáculo. O propósito é conectar e aproximar o espectador dos processos criativos do Coletivo CIDA. 

 

Os latentes interesses que aproximaram o Coletivo CIDA de Alejandro Ahmed se fazem presentes de modo irrefutável nas discussões - teóricas ou coreográficas - que tangem os criadores René e Rozeane. Exaustão, transitoriedade, limítrofes, pluralidade de existência. A exibição é apenas o princípio dessa jornada. Não se espera com esse trabalho a criação de uma metodologia para danças pandêmicas, mas sim o desenvolvimento de mecanismos que sobrevivam na vida pós pandêmica. 

 

Serão convidados outros artistas atuantes da cena potiguar para se juntarem nesse percurso de danças pandêmicas. A continuidade do processo será compartilhada por meio das redes sociais do Coletivo, que pretende exibir a obra, em sua fase final, de modo presencial no primeiro semestre de 2022.

 

Apoio: Lei Aldir Blanc - Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal

 

Realização: Coletivo Independente Dependente de Artistas

PANDEMIC DANCE PROTOCOLS

With choreographic and dramaturgical interlocution by Alejandro Ahmed, director of Grupo Cena 11 Cia de Dança (Santa Catarina), PROTOCOLOS PANDÊMICOS DE DANÇA is an initiative of choreographers René Loui and Rozeane Oliveira, who are investigating together, at Coletivo CIDA, other ways and ways to a dance crossed by the rites and protocols brought about by the pandemic.

 

With research started in 2020, PANDEMIC DANCE PROTOCOLS, still in their fetal stage, conceived by audiovisual means, will be made public, through our YouTube channel, in order to collect impressions and various testimonies, which serve as choreographic stimulus for the development of a hybrid work, which relates digital and presential media in its work, which rubs body and technology, a work that brings those who conventionally do it closer to those who conventionally watch and, if possible, blurring these roles.

 

Viewers will be encouraged to share their impressions and experiences reports, through texts, audios, videos, or any other means, transforming them into active agents in the subjective construction of the final work, that is, the spectator becomes part of the creative process that will shape the next steps in the construction of the show. The purpose is to connect and bring the viewer closer to the creative processes of Coletivo CIDA.

 

The latent interests that brought together Alejandro Ahmed's CIDA Collective are irrefutably present in the discussions - theoretical or choreographic - that touch creators René and Rozeane. Exhaustion, transience, borderlines, plurality of existence. The exhibition is just the beginning of this journey. This work is not expected to create a methodology for pandemic dances, but rather to develop mechanisms that survive the post-pandemic life.

 

Other active artists from the Potiguar scene will be invited to join this path of pandemic dances. The continuity of the process will be shared through the Coletivo's social networks, which intends to exhibit the work, in its final phase, in person in the first half of 2022.

 

Support: Aldir Blanc Law - José Augusto Foundation, State Government of Rio Grande do Norte, Special Secretariat of Culture, Ministry of Tourism, Federal Government

 

Realization: Independent Collective Dependent on Artists

PROTOCOLOS.jpg